ELIAS MURATORI LANÇA O MENINO PASSARINHO

por LUCIANA ARCHETE

Advogada e Jornalista MG19681JP

O jornalista e escritor, imortal da Academia Muriaeense de Letras, Elias Muratori, casado, pai extremoso e observador dos fatos e escrita fez no sábado o lançamento do seu quarto livro na sede da AMLE, na avenida Eudóxia Canêdo, no Centro de Muriaé.

A sede da entidade recebeu amigos e acadêmicos que foram prestigiar o jornalista e seu “O menino Passarinho”, um livro que mostra como a vontade de imaginar de uma criança pode leva-la a mundos infinitos e terras distantes.

Elias descreve, com leva e pureza, as façanhas imaginárias de um garoto que imagina conhecer outros lugares e, em seus pensamentos, consegue viajar como um passarinho agarrado à um maleiro de uma jardineira que sempre passa perto de sua residência e, nesta viagem fantástica, conhece lugares e pessoas, personagens que vão lhe ensinando sobre a vida e o viver.

As aventuras deste menino permitem transformar em realidade os sonhos, quase impossíveis, em sua pequena mente.

Segundo o autor, “gratidão” é a palavra que pode descrever o sentimento alcançado nesta realização. “Receber amigos e familiares, pessoas que me são caras e prestimosas não tem valor e muito menos palavras. O lançamento do meu 4º livro “O menino passarinho” é mais um passo alcançado para o sucesso pessoal”, explicou.

Na noite ainda foi possível viver os bons momentos de um Sarau Poético que teve a participação dos poetas e poetizas Pablo, Geraldo Luiz Souza Moreira, Alencar César Silva, Janir Marcolino Dias do Prado, Paulo Levate, Andrezza, Euler Luz, Dadace Castro, Valéria Monteiro De Barros Fernandes que enriqueceram a “avant première” d’O Menino Passarinho.

A realização contou também com a contribuição de Teresa Oliva (cerimonial), Thaís Muratori (Mesa de Livros e organização dos autógrafos), Thiago Lima (fotógrafo) e Jaime Mattos.

Thais Muratori, filha do escritor, enfatizou a importância da família e do aprendizado que o pai lhe pôde oferecer na vida. “Exalto a sorte de crescer sob a sua influência e de ter recebido minha educação e minha formação pelas suas mãos. Quero agradecer a honra de saber sua história, de ter tido o seu exemplo, de quem poderia ter enveredado por caminhos mais fáceis, mas escolheu lutar para aprender, para estudar, depois para ensinar, e para escrever e para continuar escrevendo”, agradeceu.

A reprodução desta reportagem, ou parte dela, requer citação de fonte. A falta dela poderá impor ao infrator as penalidades da lei conforme legislação em vigor. Fotos pessoais do jornalista.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *