CONDENADOS DIRETORES DO EXTINTO BEMGE

por LUCIANA ARCHETE

advogada e jornalista MG19681JP

 

O ex-vereador uberlandense e ex-deputado estadual e federal, Luiz Alberto Rodrigues foi condenado junto com outros dois ex-diretores do liquidado Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge). Dentre eles o ex-presidente do banco, José Afonso Bicalho, atual secretário da Fazenda, e Ênio Pereira Botelho. Luiz Alberto Rodrigues é o atual subsecretário de Indústria, Comércio e Indústrias. Os três foram condenados pelos crimes de gestão temerária de instituição financeira.

O teor do processo aponta que a administração do Bemge entre 1994 a 1998 estes diretores realizaram e autorizaram diversas operações financeiras sem proporcionar a seleção, garantias, liquidez e diversificação dos riscos de quem estava tomando dinheiro emprestado. Auditoria do Banco Central à época apontou estes equívocos na gestão.

Os condenados podem recorrer uma v ez que a decisão foi em primeira instância.

A decisão do juiz da 4ª Vara da Justiça condenou Bicalho, então presidente do banco, a cinco anos e oito meses de prisão; Ênio Botelho a quatro anos e Luiz Alberto Rodrigues a quatro anos e 8 meses.

José Afonso Bicalho teve a responsabilidade considerada “gravíssima” pelo Banco Central, ficou afastado de atividades de administração de instituições financeiras por seis anos em cumprimento a pena de inabilitação, desde a liquidação.

O Ministério Público Federal recorreu para tentar aumentar as penas. José Afonso Bicalho disse que não vai comentar a decisão. Luiz Alberto Rodrigues disse que somente vai se defender quando receber detalhes da condenação. Ênio Pereira Botelho não foi localizado. O ex-governador à época, Eduardo Azeredo disse que desconhece o teor do processo.

lçuiz2

foto brasil47
foto brasil47
FOTO BRASIL47
FOTO BRASIL47

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *